Incontinência urinária

Definição

A incontinência urinária (ou da bexiga) ocorre quando não é possível ter controle sobre a urina que sai da uretra, o canal que leva a urina da bexiga para fora do organismo. Esse problema pode variar de um vazamento de urina ocasional até uma completa incapacidade de reter a urina.

Os três tipos principais de incontinência urinária são:

A incontinência mista envolve mais de um tipo de incontinência urinária.

A incontinência intestinal, um tópico separado, é a incapacidade de controlar a passagem das fezes.

Nomes alternativos

Perda do controle da bexiga; Micção incontrolável; Micção - incontrolável; Incontinência - urinária

Causas

As causas de incontinência urinária incluem:

A incontinência pode ser de caráter repentino e temporário ou constante e de longo prazo. As causas da incontinência repentina ou temporária incluem:

Possíveis causas da incontinência de longo prazo incluem:

Cuidados em casa

Procure um médico para realizar um exame inicial e um plano de tratamento. As opções de tratamento variam, dependendo do caso e do tipo da incontinência.

Há várias abordagens diferentes para o tratamento da incontinência urinária.

Mudanças no estilo de vida. Algumas mudanças no estilo de vida podem ajudar a melhorar os sintomas. Seu médico poderá recomendar essas mudanças em associação a outros tipos de tratamento.

Para conter o vazamento, use absorventes ou fraldas para adultos. Há vários produtos especificamente desenvolvidos que podem ser usados sem que ninguém perceba.

Reeducação da bexiga e exercícios do assoalho pélvico. A reeducação da bexiga envolve ajuda a melhorar o controle sobre a bexiga. Exercícios de Kegel fortalecem os músculos do assoalho pélvico. Um profissional da saúde orientará você sobre como realizá-los. Muitas mulheres não fazem esses exercícios corretamente, embora acreditem ter a técnica correta. Pacientes frequentemente se beneficiam de um treinamento de fortalecimento e reeducação da bexiga com um profissional especializado.

Medicamentos. Dependendo do tipo de incontinência, o seu médico poderá prescrever um ou mais medicamentos. Eles ajudam a prevenir espasmos musculares, relaxam e melhoram a função da bexiga. Siga as orientações do seu médico sobre como tomar esses medicamentos e gerenciar seus efeitos colaterais.

Cirurgia. Se outros tratamentos não funcionarem, ou se você tiver incontinência grave, seu médico poderá recomendar cirurgia. O tipo de cirurgia dependerá:

Se você tiver incontinência por sobrefluxo ou não conseguir esvaziar totalmente a bexiga, pode ser necessário usar um cateter. Você poderá usar um cateter que permanece por um longo período, ou um cateter que você coloca e tira você mesmo, de acordo com as orientações do profissional de saúde.

Estimulação do nervo vesical. A incontinência de urgência e o aumento da frequência urinária podem às vezes ser tratadas pela estimulação elétrica nervosa. Pulsos de eletricidade são usados para reprogramar os reflexos da bexiga. Em uma técnica, o médico insere um estimulador através da pele, perto de um nervo na perna. Isso é feito semanalmente. Outro método usa um dispositivo implantado operado por bateria, semelhante a um marca-passo, que é colocado sob a pele, na parte inferior das costas.

Injeções de toxina botulínica. A incontinência de urgência pode às vezes ser tratada com uma injeção de toxina botulínica (conhecida como Botox). A injeção relaxa o músculo da bexiga e a aumenta capacidade de armazenamento da bexiga. A injeção é feita através de um tubo fino com uma câmera na extremidade (cistoscópio). Na maioria dos casos, o procedimento pode ser feito no consultório.

Quando contatar um profissional de saúde

Converse sobre a incontinência com seu médico. Os ginecologistas e os urologistas são os especialistas mais familiarizados com esse problema. Eles podem avaliar as causas e recomendar as abordagens de tratamento adequadas.

Ligue para o serviço de emergência local (como 192) ou procure um atendimento de emergência se algum dos sintomas a seguir estiver acompanhando uma súbita perda do controle da urina:

Ligue para o médico:

Referências

Newman DK, Burgio KL. Conservative management of urinary incontinence: behavioral and pelvic floor therapy and urethral and pelvic devices. In: Wein AJ, Kavoussi LR, Partin AW, Peters CA, eds. Campbell-Walsh Urology. 11th ed. Philadelphia, PA: Elsevier; 2016:chap 80.

Resnick NM. Incontinence. In: Goldman L, Schafer AI, eds. Goldman-Cecil Medicine. 25th ed. Philadelphia, PA: Elsevier Saunders; 2016:chap 26.

Reynolds WS, Dmochowski R, Karram MM. Surgical management of detrusor compliance abnormalities. In: Baggish MS, Karram MM, eds. Atlas of Pelvic Anatomy and Gynecologic Surgery. 4th ed. Philadelphia, PA: Elsevier; 2016:chap 93.

Vasavada SP, Rackley RR. Electrical stimulation and neuromodulation in storage and emptying failure. In: Wein AJ, Kavoussi LR, Partin AW, Peters CA, eds. Campbell-Walsh Urology. 11th ed. Philadelphia, PA: Elsevier; 2016:chap 81.


Data da revisão: 11/13/2016
Revisão feita por: Jennifer Sobol, DO, urologist with the Michigan Institute of Urology, West Bloomfield, MI. Review provided by VeriMed Healthcare Network. Also reviewed by David Zieve, MD, MHA, Medical Director, Brenda Conaway, Editorial Director, and the A.D.A.M. Editorial team.
As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles. 1997- A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.
adam.com