Gânglios linfáticos inchados

Definição

Os gânglios linfáticos, ou linfonodos, são encontrados em todo o corpo. Eles são parte importante de seu sistema imunológico. Os linfonodos ajudam seu corpo a reconhecer e combater germes, infecções e outras substâncias estranhas.

O termo linfonodos inchados se refere ao aumento de tamanho de um ou mais linfonodos. O nome médico para aumento dos linfonodos é linfoadenopatia.

Em uma criança, um linfonodo será considerado aumentado se tiver mais de 1 cm de diâmetro.

Nomes alternativos

Glândulas inchadas; Glândulas - inchadas; Linfonodos - inchados; Linfadenopatia

Considerações

As áreas comuns nas quais os linfonodos podem ser palpados (com os dedos) incluem:

Causas

As infecções que usualmente causam linfonodos inchados incluem:

Os transtornos imunes e autoimunes que causam linfonodos inchados incluem artrite reumatoide e HIV.

Os cânceres que frequentemente causam linfonodos inchados incluem:

Entretanto, muitos outros tipos de câncer também podem causar esse problema.

Linfonodos inchados também podem ser causados por alguns medicamentos, incluindo:

Quais linfonodos ficam inchados depende do tipo de problema e das partes do corpo envolvidas. Linfonodos inchados que aparecem de repente e são dolorosos geralmente são causados por lesão ou infecção. O aumento lento e indolor de um linfonodo pode ser devido a um tumor ou câncer.

Cuidados em casa

Linfonodos doloridos são geralmente um sinal de que o seu corpo está combatendo uma infecção. A dor normalmente desaparece em poucos dias, sem tratamento. O linfonodo pode não retornar ao seu tamanho normal por várias semanas.

Quando contatar um profissional de saúde

Consulte seu médico se:

O que esperar da consulta médica

Seu médico realizará um exame clínico e fará perguntas para o histórico clínico, incluindo:

Os seguintes testes diagnósticos poderão ser solicitados:

O tratamento dependerá da causa.

Referências

Armitage JO, Bierman PJ. Approach to the patient with lymphadenopathy and splenomegaly. In: Goldman L, Schafer AI, eds. Goldman-Cecil Medicine. 25th ed. Philadelphia, PA: Elsevier Saunders; 2016:chap 168.

Tower RL, Camitta BM. Lymphadenopathy. In: Kliegman RM, Stanton BF, St. Geme JW, Schor NF, eds. Nelson Textbook of Pediatrics. 20th ed. Philadelphia, PA: Elsevier; 2016:chap 490.


Data da revisão: 1/14/2018
Revisão feita por: Linda J. Vorvick, MD, Clinical Associate Professor, Department of Family Medicine, UW Medicine, School of Medicine, University of Washington, Seattle, WA. Also reviewed by David Zieve, MD, MHA, Medical Director, Brenda Conaway, Editorial Director, and the A.D.A.M. Editorial team.
As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles. 1997- A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.
adam.com