Hidrocefalia

Definição

Hidrocefalia é um acúmulo de fluido dentro do crânio, que leva ao inchaço do cérebro.

Hidrocefalia significa "água no cérebro".

Nomes alternativos

Água no cérebro

Causas

A hidrocefalia ocorre devido a um problema com o fluxo do fluido em volta do cérebro. Esse fluido é chamado líquido cefalorraquidiano (LCR). Ele envolve o cérebro e a medula espinhal, ajudando a amortecer o cérebro.

O LCR normalmente circula pelo cérebro e medula espinhal e entra na corrente sanguínea. Os níveis de LCR no cérebro podem subir se:

Muito LCR coloca pressão sobre o cérebro e empurra o cérebro para cima contra o crânio, danificando o tecido cerebral.

A hidrocefalia pode ter início quando o feto está crescendo no útero. É comum em bebês que tenham uma mielomeningocele, um defeito congênito em que a coluna espinhal não fecha adequadamente.

A hidrocefalia também pode ocorrer devido a:

Em crianças pequenas, a hidrocefalia pode ocorrer devido a:

A hidrocefalia ocorre com mais frequência em crianças. Outro tipo, chamado hidrocefalia de pressão normal, pode ocorrer em adultos e pessoas idosas.

Sintomas

Os sintomas de hidrocefalia dependem:

Em bebês, a hidrocefalia faz com que a moleira (fontanela) fique protuberante e a cabeça fique maior que o esperado. Os sintomas iniciais também podem incluir:

Sintomas que podem aparecer em crianças mais velhas podem incluir:

Sinais e exames

O médico examinará o bebê. Esse exame poderá revelar:

Medições da circunferência da cabeça, repetidas com o decorrer do tempo, podem mostrar que a cabeça está aumentando.

Uma tomografia computadorizada da cabeça é um dos melhores exames para identificação da hidrocefalia. Outros exames que podem ser realizados incluem:

Tratamento

A meta de tratamento é reduzir ou prevenir dano cerebral, melhorando o fluxo de LCR.

Pode ser feita cirurgia para reduzir um bloqueio, se possível.

Se não, a inserção de um tubo flexível (derivação ou shunt) no cérebro redirecionará o fluxo de LCR. A derivação envia o LCR para outra parte do corpo, como para a área da barriga, onde ele pode ser absorvido.

Outros tratamentos podem incluir:

A criança precisará de consultas regulares para certificar-se de que não há problemas adicionais. Serão feitos exames regularmente para verificar o desenvolvimento da criança e para saber se há problemas intelectuais, neurológicos ou físicos.

Enfermeiros visitantes, serviços sociais, grupos de apoio e órgãos locais podem fornecer apoio emocional e assistência à criança com hidrocefalia que tiver dano cerebral significativo.

Expectativas (prognóstico)

Sem tratamento, até 6 em cada 10 pessoas com hidrocefalia irão morrer. As que sobreviverem terão diferentes incapacidades intelectuais, físicas e neurológicas.

A perspectiva depende da causa. A hidrocefalia que não ocorre devido a uma infecção tem a melhor perspectiva. Indivíduos com hidrocefalia provocada por tumores geralmente não têm boa perspectiva.

A maioria das crianças com hidrocefalia que sobrevive por 1 ano terá uma expectativa de vida dentro do normal.

Complicações

A derivação pode entupir. Sintomas desse entupimento incluem dor de cabeça e vômito. O cirurgião pode ajudar a abrir a derivação sem ter que substituí-la.

Pode haver outros problemas com a derivação, como dobramento, separação do tubo ou infecção.

Outras complicações podem incluir:

Quando contatar um profissional de saúde

Procure assistência de um médico se seu filho apresentar qualquer sintoma desse transtorno. Vá ao pronto-socorro ou ligue para um número de emergência local como 192 se sintomas emergenciais aparecerem, incluindo:

Você também deve consultar o médico se a condição da criança diagnosticada com hidrocefalia piorar e você não conseguir cuidar dela em casa.

Prevenção

Proteger a cabeça do bebê ou da criança contra lesões. Tratamento imediato de infecções e outros transtornos associados à hidrocefalia poderá reduzir o risco de desenvolvimento do distúrbio.

Referências

Kinsman SL, Johnston MV. Congenital anomalies of the central nervous system. In: Kliegman RM, Stanton BF, St. Geme JW, Schor NF, eds. Nelson Textbook of Pediatrics. 20th ed. Philadelphia, PA: Elsevier; 2016:chap 591.

Rosenberg GA. Brain edema and disorders of cerebrospinal fluid circulation. In: Daroff RB, Jankovic J, Mazziotta JC, Pomeroy SL, eds. Bradley's Neurology in Clinical Practice. 7th ed. Philadelphia, PA: Elsevier; 2016:chap 88.


Data da revisão: 10/18/2017
Revisão feita por: Neil K. Kaneshiro, MD, MHA, Clinical Professor of Pediatrics, University of Washington School of Medicine, Seattle, WA. Also reviewed by David Zieve, MD, MHA, Medical Director, Brenda Conaway, Editorial Director, and the A.D.A.M. Editorial team.
As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles. 1997- A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.
adam.com