Câncer de ovário

Definição

O câncer de ovário é um tipo de câncer que começa no ovário. Os ovários são os órgãos reprodutores femininos que produzem os óvulos.

Nomes alternativos

Câncer - ovários

Causas

O câncer de ovário é o quinto tipo de câncer mais comum entre as mulheres e causa mais mortes que qualquer outro tipo de câncer nos órgãos reprodutores femininos.

A causa é desconhecida.

Aparentemente o risco de desenvolver câncer de ovário é afetado por diversos fatores.

Sintomas

Normalmente, os sintomas do câncer de ovário são muito vagos. As mulheres e seus médicos frequentemente colocam a culpa dos sintomas em outras doenças mais comuns. Quando o câncer é finalmente diagnosticado, o tumor muitas vezes já se espalhou para outros órgãos.

Procure seu médico se apresentar os sintomas a seguir diariamente por mais de algumas semanas:

Outros sintomas também acompanham o câncer de ovário. Entretanto, esses sintomas também são comuns em mulheres que não têm câncer:

Outros sintomas que podem ocorrer com essa doença:

Sinais e testes

O exame físico é geralmente normal. Em casos de câncer avançado, achados incluem abdome inchado e líquido na cavidade abdominal (ascite).

Um exame pélvico pode revelar uma massa no abdome ou em um dos ovários.

O exame de sangue CA-125 não é considerado um bom teste de triagem para câncer de ovário. Entretanto, ele pode ser feito se a mulher:

Outros testes que podem ser realizados incluem:

Cirurgia, como laparoscopia pélvica ou laparotomia exploradora, pode ser realizada para investigação dos sintomas e realização uma biópsia para ajudar a chegar ao diagnóstico.

Nenhum exame de laboratório ou de imagem demonstrou até hoje ser capaz de diagnosticar o câncer de ovário nos seus estágios iniciais. Por isso, nenhum exame de triagem padrão é recomendado como rotina.

Tratamento

A cirurgia é usada para tratar todos os estágios do câncer de ovário. Nos estágios iniciais, a cirurgia poderá ser o único tratamento recomendado pelo seu médico. A cirurgia pode incluir a remoção de ambos os ovários e das trompas, do útero ou de outras estruturas da pelve e do abdome.

A quimioterapia é usada após a cirurgia para tratar qualquer tumor residual. Ela também pode ser usada se o câncer reincidir. A administração da quimioterapia pode ser feita por via intravenosa ou, algumas vezes, diretamente na cavidade abdominal (intraperitonial).

A radioterapia é não é comumente usada em casos de câncer de ovário.

Após a cirurgia e a quimioterapia, as pacientes devem seguir as orientações do médico em relação à frequência de consultas de retorno e de realização de exames complementares.

Grupos de apoio

Você pode aliviar o estresse da doença ao se juntar a um grupo de apoio. Compartilhar com outras mulheres que têm experiências e problemas em comum poderá ajudá-la a não se sentir sozinha.

Expectativas (prognóstico)

O câncer de ovário é raramente diagnosticado nos seus estágios iniciais. Ele geralmente está muito avançado quando o diagnóstico é feito.

Quando contatar um profissional de saúde

Marque uma consulta com seu médico se você estiver com mais de 40 anos e não tiver feito um exame pélvico recentemente. Os exames pélvicos de rotina são recomendados para todas as mulheres com mais de 20 anos.

Marque uma consulta com seu médico se apresentar sintomas de câncer de ovário.

Prevenção

Não existe uma recomendação padrão para fazer a triagem do câncer de ovário. A triagem de mulheres com ultrassonografia pélvica ou exames de sangue, como CA-125, não mostrou ser eficiente e não é recomendada como rotina.

O teste BRCA1 ou BRCA2 pode ser recomendado para mulheres com alto risco de câncer de ovário, ou seja, mulheres com uma história pessoal ou familiar de câncer de mama ou de ovário.

A remoção dos ovários e das trompas de mulheres que apresentam mutações nos genes BRCA1 e BRCA2 pode diminuir o risco de desenvolver o câncer de ovário, embora ele possa se desenvolver em outras áreas da pelve.

Referências

Coleman RL, Ramirez PT, Gershenson DM. Neoplastic diseases of the ovary: screening, benign and malignant epithelial and germ cell neoplasms, sex-cord stromal tumors. In: Lobo RA, Gershenson DM, Lentz GM, Valea FA, eds. Comprehensive Gynecology. 7th ed. Philadelphia, PA: Elsevier; 2017:chap 33.

Morgan M, Boyd J, Drapking R, Seiden MV. Cancers arising in the ovary. In: Niederhuber JE, Armitage JO, Doroshow JH, Kastan MB, Tepper JE, eds. Abeloff's Clinical Oncology. 5th ed. Philadelphia, PA: Elsevier Churchill Livingstone; 2014:chap 89.

National Cancer Institute website. BRCA1 and BRCA2: cancer risk and genetic testing. www.cancer.gov/about-cancer/causes-prevention/genetics/brca-fact-sheet. Updated April 1, 2015. Accessed December 21, 2016.


Data da revisão: 11/10/2016
Revisão feita por: Todd Gersten, MD, Hematology/Oncology, Florida Cancer Specialists & Research Institute, Wellington, FL. Review provided by VeriMed Healthcare Network. Also reviewed by David Zieve, MD, MHA, Medical Director, Brenda Conaway, Editorial Director, and the A.D.A.M. Editorial team.
As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles. 1997- A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.
adam.com