Doença do refluxo gastroesofágico

Definição

A doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) é uma condição na qual há refluxo do conteúdo do estômago de volta para o esôfago (o tubo que liga a boca ao estômago), podendo ocasionar irritação do esôfago e consequentemente azia e outros sintomas.

Nomes alternativos

Esofagite péptica; Esofagite de refluxo; DRGE; Azia - crônica; Dispepsia - DRGE

Causas

Quando você come, a comida passa da boca para o estômago através do esôfago. Uma vez que a comida está no estômago, um anel de fibras musculares impede que o bolo alimentar volte para o esôfago. Essas fibras musculares são chamadas esfíncter esofágico inferior (EEI).

Se o EEI não fechar adequadamente, parte do conteúdo que está no estômago pode refluir de volta ao esôfago. Isso é chamado refluxo gastroesofágico. Esse refluxo pode causar sintomas ou mesmo levar a uma lesão do esôfago pelo conteúdo ácido do estômago.

Os fatores de risco do refluxo incluem:

Azia e refluxo gastroesofágico podem ser causados ou piorados por gravidez e vários medicamentos diferentes. Essas drogas incluem:

Se você suspeitar que um de seus medicamentos possa estar causando azia, entre em contato com o seu médico. Nunca mude nem pare com um medicamento que você toma regularmente sem antes consultar o seu médico.

Sintomas

Os sintomas mais comuns são:

Os sintomas menos comuns são:

Sinais e testes

Você pode não precisar de nenhum exame complementar se seus sintomas forem leves.

Se seus sintomas forem graves ou voltarem após você ter sido tratado, o seu médico poderá solicitar uma endoscopia digestiva alta. Este exame é feito para examinar o revestimento do esôfago, do estômago e da parte inicial do intestino delgado, usando uma câmera pequena (endoscópio flexível) que é inserida pela boca.

Você também pode precisar dos seguintes exames:

Um teste de sangue oculto nas fezes positivo pode diagnosticar sangramento proveniente de irritação do esôfago, do estômago ou do intestino.

Tratamento

Você pode fazer mudanças na sua dieta e no seu estilo de vida para ajudar a melhorar os seus sintomas, incluindo:

Antiácidos podem ser usados após as refeições e antes de dormir, embora o alívio não dure muito tempo. Efeitos colaterais comuns incluem diarreia ou constipação.

Outras drogas podem usadas no tratamento da doença do refluxo. Elas funcionam mais lentamente do que os antiácidos, mas oferecem alívio mais longo. Por exemplo, inibidores da bomba de prótons e antagonistas H2 diminuem a quantidade de ácido produzido pelo estômago.

Converse com o médico sobre sua dieta e como tomar os medicamentos prescritos. Nunca tome medicamentos sem antes consultar o seu médico.

Cirurgia que corrige o refluxo pode ser uma opção para pacientes cujos sintomas não melhoram com mudanças no estilo de vida e medicamentos. Azia e outros sintomas devem melhorar após a cirurgia, mas você ainda pode precisar continuar tomando medicamentos.

Há ainda terapias para refluxo mais recentes que podem ser realizadas por meio de uma endoscopia.

Expectativas (prognóstico)

A maioria das pessoas responde a medidas não cirúrgicas, com mudanças no estilo de vida e medicamentos. No entanto, vários muitas pessoas precisarão continuar tomando medicamentos para controle dos sintomas.

Complicações

Complicações incluem:

Quando contatar um profissional de saúde

Entre em contato com o seu médico se os sintomas não melhorarem com os medicamentos ou com as mudanças no estilo de vida.

Também entre em contato se tiver algum dos seguintes sintomas:

Prevenção

Seguir técnicas de prevenção de azia pode ajudar a prevenir os sintomas. A obesidade está ligada à doença do refluxo gastroesofágico, portanto, manter um peso corporal saudável pode ajudar a prevenir a condição.

Referências

ASGE Standards of Practice Committee, Muthusamy VR, Lightdale JR, et al. The role of endoscopy in the management of GERD. Gastrointest Endosc. 2015;81(6):1305-1310. PMID: 25863867 www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25863867.

Falk GW, Katzka DA. Diseases of the esophagus. In: Goldman L, Schafer AI, eds. Goldman's Cecil Medicine. 25th ed. Philadelphia, PA: Elsevier Saunders; 2016:chap 138.

Galmiche JP, Hatlebakk J, Attwood S, et al. Laparoscopic antireflux surgery vs esomeprazole treatment for chronic GERD: the LOTUS randomized controlled trial. JAMA. 2011;305(19):1969-1977. PMID: 21586712 www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21586712.

Katz PO, Gerson LB, Vela MF. Guidelines for the diagnosis and management of gastroesophageal reflux disease. Am J Gastroenterol. 2013;108(3):308-28. PMID: 23419381 www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23419381.

Richter JE, Friedenberg FK. Gastroesophageal reflux disease. In: Feldman M, Friedman LS, Brandt LJ, eds. Sleisenger and Fordtran’s Gastrointestinal and Liver Disease. 10th ed. Philadelphia, PA: Elsevier Saunders; 2016:chap 44.

Wang KK, Sampliner RE. Updated guidelines 2008 for the diagnosis, surveillance and therapy of Barrett's esophagus. Am J Gastroenterol. 2008;103(3):788-797. PMID: 18341497 www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18341497.


Data da revisão: 1/28/2016
Revisão feita por: Subodh K. Lal, MD, gastroenterologist with Gastrointestinal Specialists of Georgia, Austell, GA. Review provided by VeriMed Healthcare Network. Also reviewed by David Zieve, MD, MHA, Isla Ogilvie, PhD, and the A.D.A.M. Editorial team.
As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles. 1997- A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.
adam.com